Localizações da celulite?

A celulite é uma doença típica de implantação sectorial; pode afectar vários sectores, ou seja, partes do corpo, mas nunca envolve a totalidade do tecido dermo-hipodérmico.

Para desencadear medidas preventivas eficazes e intervir ao menor indício de aparecimento, é essencial conhecer os locais preferidos de implantação.

A celulite das ancas

As «almofadinhas» que se formam na parte lateral da bacia e que, por vezes, se prolongam na parte superior da coxa, constituemaquilo que se designa por culotte de cheval (literalmente, «calças de montar», uma peça de vestuário que se alarga exectamente naquele ponto).

É uma forma frequente de celulite, que altera o perfil da figura e pode agravar-se com a hipotonia das nádegas que, ao descoírem («nádegas caídas»), favorecem o deslize lateral da gordura por baixo delass.

Nesta zona, são frequentes as estrias de sentido vertical (estrias de desenvolvimento).

A celulite da coxa

A coxa é frequentemente envolvida, na zona interna superior ao nível da virilha, por uma celulite mole, por vezes até edematosa, móvel e pouco dolorosa, devido geralmente à compressão da virilha pelas peças de vestuário, o que diminui a descarga do líquido venolinfático nos gânglios linfáticos inguinais e na bacia. Quando esta compressão se verifica durante anos, o volume das duas «almofadinhas» contrapostas pode aumentar a ponto de, quando se caminha, provocar uma desagradável fricção.

Na superfície posterior da coxa, a celulite é geralmente difusa e de tipo mole ou compacto; está relacionada sobretudo com a pressão de uma prolongada posição sentada.

Na parte anterior da coxa, em especial por cima do joelho, a celulite, seja ela mole ou compacta, é geralmente extensa e apresenta muitas vezes ondulações que se tornam particularmente evidentes quando se está de pé.

A celulite do joelho

No joelho, são típicas algumas localizações que passamos a analisar.

A zona interna por cima da linha de articulação pode apresentar acumulações celulíticas que são consequência da celulite mole inguinal; desenvolvem-se quando a compressão perdura e a retenção de líquidos se propaga para baixo. Distingue-se da celulite mole inguinal pela sua consistência mais pastosa ..

A implantação média, abaixo da linha de articulação, tem origem e características diversas; é um relevo circunscrito, de forma ovóide, consistente e doloroso à apalpação. O aumento progressivo de volume prenuncia uma intumescência progressiva dos tornozelos.

A celulite da zona posterior do joelho possui uma consistência compacta; é de difícil remoção, por não ser saliente, sendo apenas visível com a perna completamente estendida.

A celulite do ombro

As implantações celulíticas na zona do ombro não são típicas nem frequentes. Trata-se principalmente de inchaços moles, limitados muitas vezes perto do pescoço por um sulco que representa o vestígio das alças do sutiã ou do body; espalham-se no interior em direcção aos bordos da axila e posteriormente acabam por confundir-se com a celulite do braço.

A celulite do queixo

Corresponde à chamada «papada», uma acumulação que se desenvolve entre o queixo e o pescoço, sempre em pessoas com adiposidade difusa. Não é fácil distingui-la da simples adiposidade localizada, porque muitas vezes não há elementos caracterizadores.

A celulite do braço

No braço, a celulite está presente principalmente na superfície interna e na posterior: geralmente, a primeira é mais mole, a segunda mais pastosa, confundindo-se muitas vezes com a do bordo posterior da axila; outras vezes pode ser flutuante, de forma a permitir a apalpação dos micronódulos e dos macronódulos.

O «dorso de búfalo»

Na parte posterior do pescoço, no ponto de encontro com as espáduas, pode ver-se o chamado «dorso de búfalo», uma formação de celulite compacta, difícil de remover; é frequentemente dolorasa à apalpação e aos movimentos voluntários, devido à compressão que exerce sobre os nervos cervicais. É mais frequente nos homens com uma constituição maciça e nas mulheres de tipo andrógino.

A celulite do abdómen

Este tipo de celulite é mais frequente nos homens, mesmo magros, especialmente naqueles que são afectados por obstipação, perturbações digestivas ou doença hepática. Envolve sobretudo a região subumbilical e muitas vezes alarga-se, tipo , «colete de salvação», para ambos os lados das ancas.